Tudo é poesia


A beleza da arte é dizer o que não existe. Não é sua tarefa falar com objetividade disso ou daquilo. Para isso, há a ciência e o jornalismo (quem dera fizessem seu trabalho!).

O registro artístico tem a ver com metáfora. Com poesia. Com inovação.

Por isso, dizer o que não existe é o primeiro movimento da criação. Aliás, tudo que aí está é resultado desse movimento criador, criativo e crítico do ser humano. Inventamos tudo. Tudo.

Talvez seja essa a razão pela qual os hedonistas antigos tenham utilizado a palavra grega “poiesis” (que originalmente significava ação, fabricação, trabalho) para expressar a ideia de criação, invenção. Por eles, poiesis virou poesia.

E se a gente para bem para analisar, a vida é poética mesmo. Uma ferramenta de trabalho é apenas mais um jeito inventivo de habitar o mundo. Inventamos, inovamos e desenvolvemos tecnologia porque não estamos satisfeitos com o mundo que a natureza nos deu.

Precisamos reinventa-lo. E temos reinventado tudo.

Nesse sentido, tudo é poético.

E é isso que nos salva.

Afinal, como diria o Valèry, “o que seria de nós sem o socorro das coisas que não existem?”.

__________

(*) Ricardo Lengruber é professor. Doutor pela PUC Rio, tem livros e artigos publicados nas áreas de Educação, Religião e Políticas Públicas. Foi Secretário de Educação em Nova Friburgo, presidente da ABIB e é membro da Academia Friburguense de Letras. Visite www.ricardolengruber.com

#poesia #arte #ricardolengruber

6 visualizações

+55 22 9 9996 1119

SIGA NAS REDES SOCIAIS
  • Facebook - White Circle
  • Branco Ícone Google+
  • White LinkedIn Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon
  • White Instagram Icon
  • White SoundCloud Icon
© 2017-2018 Ricardo Lengruber - Rio de Janeiro - Brasil
SITE SEGURO