Eleições: fé e algoritmo