Immanuel - reflexões teológicas sobre o Natal

 

 

Olá, pessoal

Bom dia

Fui convidado pelo amigo Silvio Gomes para cooperar na organização de uma coletânea de textos sobre o Natal. Convidamos amigas e amigos para essa empreitada. E o trabalho ficou bem legal. São textos muito ricos e guardam a harmonia e a dissonância necessárias às boas músicas.

Está disponível na Amazon o e-book https://www.amazon.com.br/dp/B07LDTRP5Y/. E a versão impressa https://www.amazon.com/dp/1791503624

Esperamos que todos gostem do resultado final.

Abraços e Bom Natal.

_______________

Prefácio

Todo livro é uma espécie de declaração. É uma forma mais ou menos elaborada de se colocar diante do outro. Livros não são exatamente sobre isso ou sobre aquilo apenas. Além do tema, estão presentes, com força e destaque, o autor e o leitor. Nesse sentido, o livro é mais do que um meio através do qual se transmite uma mensagem, mas, ele próprio, é um diálogo em si mesmo; um encontro de pessoas e de ideias.

O presente livro - Immanuel, reflexões teológicas sobre a encarnação - é uma declaração sobre um dos temas mais visitados na teologia cristã. Na verdade, mais do que uma declaração, é uma profusão de reflexões sobre as muitas portas e janelas que há para dialogar com o tema da encarnação. O livro é uma grande reunião de ponderações teológicas e exegéticas e, ao mesmo tempo, declarações de fé e de dúvida sobre o Natal.

São dezoito artigos de treze autoras e autores, organizados em quatro partes. Como a reunião dos textos não obedeceu a critérios metodológicos intencionais, a estruturação do livro nessas quatro grandes partes é resultado espontâneo do tema escolhido livremente por cada autor e cada autora e, além disso, por uma espécie de comunhão de ideias, sem que para isso tenha havido algum planejamento.

Cada uma das partes contém quatro textos, sendo o primeiro deles (nas quatro seções) de autoria de Luiz Longuini, que funciona como uma porta que se abre para o tema, uma voz que dá o tom das considerações e meditações que seguirão. Algo parecido com a dinâmica dos quatro Domingos do advento.

A primeira parte - Voz à poesia, à música e à vida - tem textos de Edson Fernando de Almeida, Ricardo Lengruber e Cláudio de Oliveira Ribeiro. “A música divina do Natal” (Edson Fernando) inaugura as reflexões sobre o nascimento de Jesus na perspectiva da poesia.
“A metáfora do Natal” (Ricardo Lengruber) segue a reflexão sob a lógica da teologia como linguagem metafórica. E “Eu vi o menino correndo” (Claudio Ribeiro) reflete sobre esperança, paz e justiça e sobre como são esses os valores fundantes da fé natalina.

A primeira parte, diferente das demais, tem ainda dois outros textos. “Então é Natal”, de Alessandra Viegas, sobre o amor que renuncia e se aproxima; e “Amor irresponsável”, de Lilia Marianno, sobre a potência do Natal como símbolo da amorosidade.

A segunda seção reúne os artigos de Marcelo da Silva Carneiro, Monique Carvalho e Levy Bastos. Todas as reflexões debruçam-se sobre o tema dos refugiados e das cada vez maiores ondas migratórias que povoam nosso tempo. São interpretações do Natal de Jesus à luz dos conflitos humanos. “Os magos e o muro” (Marcelo Carneiro) desloca a simbologia dos magos para a reflexão sobre os conflitos internacionais. “Aos estrangeiros, o Natal” (Monique Carvalho) salienta o lugar da mulher estrangeira no ministério e na mensagem de Jesus; uma espécie de Natal fora de época que, inesperadamente, inaugura uma forma inovadora de enxergar a fé na cultura. E “Natal, boa notícia para todos os povos” (Levy Bastos) assenta sua meditação sobre a beleza de ter Deus vindo morar conosco e de ter-se feito, ele próprio, um refugiado; e o quanto o destino de todos os refugiados do mundo nos toca a todos como humanidade.

A terceira parte do livro - Voz à Maria - é composta pelas reflexões de Ricardo Labuto Gondim, Andreia Fernandes e Silvio Gomes. É um capítulo sobre gestação, anunciação e coragem. “A mãe” (Ricardo Gondim) é uma provocativa reflexão sobre o filho de Deus nascido na pobreza e a respeito das dificuldades e da coragem de Maria. “Maria, improváveis e impossíveis de mãos dadas com a esperança e a confiança” (Andreia Fernandes) medita sobre o anúncio angelical, a perplexidade do milagre, os sintomas da gravidez e todos os preconceitos que rondam a maternidade. E “O Natal de Maria” (Silvio Gomes) trata do papel de protagonista de Maria segundo o evangelho de Lucas e do quanto o Natal traz consigo a voz dos mais fracos.

A parte IV - Voz aos oprimidos - reúne os textos de Silvio Gomes, Paulo Lockmann e Marcelo da Silva Carneiro. “O Natal dos meninos de Belém” (Silvio Gomes) faz uma instigante comparação entre o nascimento de Moisés e o de Jesus; e sobre o que significa compaixão no contexto de crianças perseguidas e mortas. “Natal” (Paulo Lockmann) reflete sobre como os propósitos de Deus podem ser manipulados pela própria classe religiosa. “A criança, a mulher e o dragão” (Marcelo Carneiro) propõe uma leitura a respeito do Natal a partir do livro do Apocalipse; sobre o desequilíbrio de forças entre um dragão e uma mulher em dores de parto.

Uma última parte além das quatro que estruturam o livro reúne outros textos dos organizadores.
“Natal, fé, política e mercado” (de Ricardo Lengruber) discorre sobre a simbologia do anjo Gabriel, sobre a simplicidade desconcertante do primeiro Natal, sobre as relações entre consumismo e religião e, por fim, sobre a dimensão política do Natal. E “O Natal de José. A chegada do Immanuel” (de Silvio Gomes) trata a respeito da profecia de Isaías 7,14 e sobre a simbologia do nome do Immanuel.

Esse livro não é um tratado organizado sob os ditames da teologia clássica ou da exegese acadêmica, mas um esforço colegiado de declarar a potência da encarnação na vida e nos conflitos humanos concretos. O fio que une cada reflexão com as demais é, digamos, espiritual. Algo que tem a ver com intencionalidades e ancestralidades. Em outras palavras: de onde se vem e pra onde se deseja caminhar.

O desejo das autoras e dos autores é que a leitura seja feita como o mesmo espírito dialógico que inspirou a escrita.

Ricardo Lengruber & Silvio Gomes (org.)
Nova Friburgo, Advento de 2018


 

 

 

 

 

 

 

 

Autoras e autores:

Alessandra Viegas
Andreia Fernandes
Cláudio Ribeiro
Edson Fernando
Levy Bastos
Lília Marianno
Luiz Longuini
Marcelo Carneiro
Monique Carvalho
Paulo Lockmann
Ricardo Labuto Gondim
Ricardo Lengruber
Silvio Gomes 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Inscreva-se no canal do YouTube

Posts Em Destaque

Ideologia e exploração: a uberização da vida.

09/11/2019

1/7
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo